DOUTOR XAMÃ

 

 

A GUINADA DE UM ADVOGADO NAS MONTANHAS SAGRADAS E NA AYAHUASCA


É natural em nossas vidas passarmos por acontecimentos sem perceber a Essência Oculta que os acompanham. Em muitas ocasiões somos mesmos beneficiados por verdadeiros milagres, que ficam encobertos pela contabilidade das perdas e danos, e nem agradecemos.

Eventos diversos diariamente ocorrem e nós, distraídos, sonolentos ou ignorantes, nem sequer vislumbramos as Forças que neles atuam e os conduzem, favorecendo ou ensinando-nos a melhorar. Estando nas situações, ficamos quase cegos, ou o foco é na dor ou no sofrimento, e não vemos o que de real a vida quer nos mostrar.

A revelação dessa Essência ou Força Oculta só ocorre quando passamos a olhar para o acontecido com certo afastamento ou neutralidade (ou ambos); aí sim, o fato ocorrido pode ser observado em sua integralidade, aparecendo a Essência Oculta em complemento à Aparência Exposta.

A Consciência é a detentora desse modo de “olhar” para os fatos/acontecimentos de um jeito neutro e justo, revelando as Essências e Aparências, nas Qualidades e Quantidades.

O Despertar para essas Forças Ocultas é um processo de Evolução da Consciência que, uma vez “acordada”, passa a interagir com a Realidade de forma integral, ou seja, vendo e se comunicando com aquilo que está exposto e com aquilo que está oculto (a isso também se dá o nome de Iluminação).

O Xamanismo, que é a Sabedoria Ancestral Indígena, é uma das bases do processo de Despertar da Consciência, posto que por seus Conhecimentos, Técnicas e Práticas o Xamã MUDA seu estado de Consciência, através do transe místico, indo da condição profana à condição divina, ou melhor, vivendo a Aparência e a Essência simultaneamente; morre uma antiga consciência e nasce a nova consciência, no processo de Cura e Despertar.

Mudança, portanto, é a qualidade fundamental para o Xamã alcançar seu novo e desperto estado de Consciência e, por conseqüência, de Comunicação com as Forças Ocultas (o que lhe garante o desenvolvimento da Arte de Curar).

Eu estava trabalhando a quinze anos na Advocacia quando um fato muito forte me aconteceu, o que no Xamanismo é descrito como “chamado”, que foi o encontro com um maravilhoso “Arco-Íris Branco”, cobrindo uma bela paisagem rural, sendo que junto, a aparição do Maha Vishnu (ou Krishna).

De terno e gravata, indo para compromissos jurídicos inadiáveis, com pressa e responsabilidade, eu poderia nem ter visto aquilo, ou nem parado o Fusca, nem descido para olhar melhor – mas foi o que eu fiz, parei.

Todos esses detalhes, ou os fundamentais, estão descritos nas páginas que se seguem, sobre a vida de um brasileiro comum, uma biografia pontual, ou seja, que ressalta justamente os Fatos (aparentes) ligados com as Forças (ocultas).

É certo que tive que enxugar muita coisa e outras ficaram mesmo numa memória mais distante que, talvez, possa ser enxertada futuramente ao Texto final. Certo, também, que a espontaneidade é a mola propulsora, já que evitei muitas pesquisas ou descrições, me atendo ao meu processo original e individual – ou alguém mais já viu um Arco-Íris Branco? Ou usava a Pata de Jaguar antes de saber o que é? Ou recebeu um Anel de Luz Dourada?

Agradeço a todos que puderam ao menos aceitar essas mudanças, especialmente, meus Filhos Ary e Léo, minha Mãe Nilza, e meus Irmãos; peço desculpas também, porque, saibam, que as escolhas e atitudes tomadas são passos de uma Eternidade que segue e não somente da vida atual.

Amo a todos vocês, sinto e faço em razão e a favor de toda a Humanidade – subir as Montanhas Sagradas enleva o Ser Humano e serve de exemplo a Todos.

Não vou calar o que é pra ser desvelado, uma vez que pode servir de modelo ou suporte para os mais jovens que estão chegando, com o aproveitamento de uma ou outra experiência, que aqui eu conto. Nada aqui é ficção, saibam!

Pode até servir de auxílio para a Evolução Espiritual de um ou de outro, mas cada Ser tem que trilhar seu próprio Caminho Sagrado e Parir suas próprias Asas Divinas. É possível a Todos!

Convido, pois, você leitor(a) a entrar nessa bem-aventurança, ou aventuras do bem, não por uma diversão literária, até plausível, mas como um parâmetro alternativo para as suas próprias escolhas.



Paz Seja Convosco!


Caly Varajão Junqueira